Cultura do cancelamento: danos causados à saúde mental


Vivemos em uma era onde a tecnologia se faz presente em boa parte das esferas da sociedade. Com este avanço, o acesso a informação e comunicação, deram voz para muitas pessoas, causas e lutas.


Porém nem tudo são flores neste processo. O mesmo espaço que deu voz para coisas boas, também abriu uma brecha para a proliferação de desinformação e a destilação de ódio.


O “cancelamento” acontece quase sempre no meio digital, e pode acontecer tanto com pessoas quanto com empresas. Geralmente o movimento se inicia com uma ação, por parte da pessoa ou empresa x, que é vista de forma negativa por uma ou por um grupo de pessoas.


A partir daí, essas pessoas registram tal “falha” e compartilham em suas redes sociais, onde são compartilhadas e viralizadas por outras pessoas. Muitas vezes pode se contar com o “auxílio” do alcance de páginas famosas ou influencers.


Em suma pode se dizer, de maneira superficial, que o cancelamento, principalmente o virtual, está diretamente ligado à falta de capacidade em saber lidar com uma ação ou posicionamento que difere do seu, causando e fomentando ainda mais a intolerância.


Opinião psicológica


Para o ponto de vista da psicologia, a questão é muito maior. Na visão deles, o cancelamento só existe quando alguma coisa (seja uma fala, pratica ou ação) deve deixar de existir.


Para o psiquiatra Galiano Brazuna, o cancelamento aparece quando uma pessoa (geralmente influente) ou empresa expressam uma opinião ou tomam uma atitude questionável, adotando uma conduta que seja inaceitável em visões morais, seja para a sociedade ou para um grupo de pessoas que fazem parte da sociedade.


Porém, toda essa reação em cadeia pode gerar uma impressão onde a imagem do cancelado esteja sempre associado a este erro, e que o mesmo sempre tomou e irá tomar decisões assim ao longo da vida.


O cancelamento, ao invés de promover o diálogo e troca de ideias a fim de ensinar “o cancelado” a enxergar seu erro, na verdade promove um linchamento e despejo de ódio por parte “do cancelador”, podendo prejudicar grandemente a vida da pessoa/empresa cancelada.


Esse tipo de exposição, pode gerar mais que prejuízos financeiros ou sociais, mas principalmente os perigos para a saúde mental. Em boa parte dos casos a pessoa pode acabar sofrendo de linchamentos virtuais, ataques pessoais, o que atinge diretamente seu psicológico.


Essas condições podem provocar sérios quadros de depressão e outros transtornos, podendo ser ainda mais agravados pela reclusão. E mesmo que a pessoa aprenda com seu erro, a pressão ocasionada pela sociedade e por todo o episódio, pode gerar ainda mais sintomas ou condições, como ansiedade.



52 visualizações0 comentário