1º de abril: mentir faz mal para à saúde


Com certeza você já mentiu em algum momento na sua vida. Seja uma mentira simples, para dar aquela fugidinha do happy hour e ir pra casa descansar, ou até aquela mentira cabeluda pra se livrar de uma enrascada quando criança.


Até aí tudo bem, porém é bom se policiar. Por mais que esses momentos de mentirinhas possa parecer inofensivo, quando se torna frequente demais, pode vir a ser um risco.


Neste artigo explicaremos como essas pequenas mentiras podem nos fazer mal a saúde, principalmente quando se tornam um hábito.



O estudo


Recentemente um grupo de pesquisadores da universidade americana chamada Notre Dame, realizou um estudo com cerca de 110 pessoas, afim de analisar seu comportamento e suas reações relacionadas a mentiras.


Eles dividiram estas pessoas em 2 grupos, onde 1 foi orientado a não contar mentiras (por menores que fossem) durante 10 dias, enquanto o outro grupo não recebeu nenhuma especificação sobre o tema.


Uma vez por semana os grupos compareciam em um laboratório para preencher um relatório sobre suas rotinas e saúde, e também passavam por uma entrevista informal utilizando um detector de mentiras, afim de apontar quantas vezes haviam mentido durante os últimos dias.


O grupo que não mentia foi apresentou uma melhora significativa no estado de saúde e bem estar, tanto físico quanto mental. Já o outro grupo, que mantiveram as mentirinhas, apresentava uma leve irritabilidade e reclamavam sobre tensão.


No final das contas, a pesquisa mostrou que uma rotina sem mentiras, das menores até as maiores, diminui o estresse, a tensão e se sente mais leve e aliviado, trazendo benefícios tanto físicos quanto mentais.


Quem costuma mentir compulsivamente, acaba se encontrando uma pilha de nervos, cheio de preocupações e até reflexos físicos.



E aí, você costuma mentir frequentemente? Como se sente com isso? Se sim, comece a repensar este hábito.

63 visualizações0 comentário